Cheshire em mim #2.




Estar sob os domínios da Rainha de Copas não é uma coisa que deixe Alice bem humorada. Se houvesse corações por todo lado, mas não. Só há sangue. Sangue nas roupas, nas ruas, entre as pernas, estagnado dentro das veias. Alice decidiu ir passear. Saiu do buraco. Na superfície, as pessoas sorriam-lhe como se sorrissem de volta. Ela sem entender. Até que num reflexo de vitrine deparou-se com um sorriso imenso na sua boca. Respirou fundo e disse entre dentes: Gatinho de Cheshire, pode-me fazer o favor de tirar este seu sorriso da minha cara? Por que?, perguntou o gato, Não gosta? Não, respondeu Alice, pareço louca sorrindo assim. Ohh, lastimou o gato projetando a língua para fora para lamber uma pata invisível, mas você é.

Um comentário:

Paulo Vitor Cruz disse...

Ah, a Rainha de Copas é puro coração... o sangue é a gente q tira do coração, quando aperta ele demais.. ou de menos.

ss H pô.