Melaço de Sangue


Uma vila da caatinga, pra quem não sabe, é a medida exata da divindade. O excesso de seco endurece os corpos, resseca o chão, greta a pele. (Deuses conseguem viver assim). Cavalo mingua pra burro que mingua pra jegue que mingua pra bode que mingua no espeto do estio. Com tanto seco, o que fica de suor e de sangue tem jeito de melaço. Ô. O que fica de suor e sangue é melaço. É doce. É forte. Formiga cresce pra tanajura que cresce pra brabuleta que cresce pra passarinho e só não cresce pra avião porque avião leva gente, mas não leva vida. A meninazinha pelada corta o dedo e lambe e cresce pra moça que cresce pra mulher que cresce pra dez mulheres que cresce uma vila inteira e pára. Porque na caatinga é pecado ser maior do que Deus. 



Um comentário:

Paulo Vitor Cruz disse...

emocionante. tudo o que eu dizer além disso será ridículo.