Oh, Captain, my Captain!

Na adolescência, para evitar meu descarrilhamento, minha mãe me matriculou em duas escolas: pela manhã, fazia o "científico" (não sei que nome tem hoje) numa escola particular; e à tarde, estudava magistério, numa escola pública.
Havia uma professora que me dava aulas nas duas escolas. E ao contrário de todas as minhas expectativas macabras, ela era tão boa na pública, quanto na particular. (ainda que eu negasse isso até a morte. Tinha que me manter fiel às convicções).
Enfim, o fato é que no último ano, as duas escolas exigindo ao máximo, eu optei pela pública. Que era maravilhosa! Sem a presença irritante de patricinhas e mauricinhos, os professores podiam gastar o tempo todo na troca de experiências que ultrapassava qualquer conteúdo. Se tiver que eleger um currículo escolar como linha-guia, sem dúvida, foi naquela escola onde mais cresci.
Me esgoelava em debates com os professores, sendo que meu professor de História da Educação, talvez tenha sido o mais peculiar. Não que eu gostasse particularmente dele na época, mas o cara me espicaçava, me fazia dar o meu melhor.
Historiador, pensador, anarquista... me ensinou a ler romances: "A vida está nos romances, Bianca".
Eu que não tinha paciência para romances, ficava-me pelo que as escolas exigiam. Só queria livros de opinião, filosofia, divulgação científica e revistinhas da turma da Mônica.
"Tem um sebo ali, leia Anna Karenina".
E mudou minha vida.

Um comentário:

Rosinha disse...

Tadinha da tia,
Achando que tu fosse virar gente te fez estudar em dois períodos e em dois lugares diferentes e mesmo assim não adiantou nada.rsrs :P

A mim tbm interessou muito mais a leitura de opinião, critica, realidade e até política, contudo, um romance que envolve muito mais do que romance romantico, me deu a oportunidade de aprender a ler e a gostar de ler. O Cortiço, do vizinho maranhense Aluísio Azevedo me fez crer que é sim possível ir além do que esta escrito.
Embora ele tenha sido um grande mestre, outros no passar dos anos tive a honra de encontrar e a oportunidade de questionar téte a téte me fez crescer e para alguns virar A Chata.Mas como se sou redonda?!
:O

Xerão ;)